Digital clock

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Os Perigos da mistura de bebidas alcoólicas

Os Perigos da mistura de bebidas alcoólicas com energéticos
A grande maioria dos jovens e até mesmo adultos, gosta de pelo menos uma vez ou outra sair para balada e beber um pouco para relaxar e/ou se divertir. Os jovens são o principal público desse tipo de noitada, afinal é nessa fase em que achamos que não existe nada melhor do que uma boa balada com muita diversão, paquera e pegação. O grande problema em questão é a maneira com que muitos buscam esse tipo de divertimento.
Não me refiro a drogas ilícitas, pois essas já sabemos o grande mal que podem ocasionar em nosso organismo, mas sim das drogas lícitas, como a junção da Taurina, presente nos energéticos com a adição de álcool. A bebida alcoólica por si só , quando foge de uma dose segura pode ocasionar sérios riscos e com a junção do energético pode ser ainda pior, pois além de todos os efeitos excitantes que a cafeína e a taurina provocam em nosso organismo e no aparelho mental, reforçam a impressão que muitos possuem sobre a bebida, acreditando que a mesma resolva ou amenize os problemas do dia a dia.
O consumo em excesso de bebida alcoólica faz com que o individuo perca suas propriedades depressivas e o senso de autocrítica. Muitos não sabem, mas a bebida não eleva o seu superego, muito pelo contrário, aniquila o poder do superego, alterando seu comportamento original, tornando o individuo mais agressivo e imprevisível.
Recentemente uma série de novas pesquisas realizada pela ANU (Astralian National University) comprovaram que a presença desse tipo de estimulante agregado ao consumo do álcool parece incrementar e reforçar a prolongação do hábito em beber e classificaram a combinação dessas duas drogas, taurina e álcool, como uma combinação de alto-risco, colaborando com o aumento significante do consumo de bebidas alcoólicas, revelando que os homens passaram a beber cinco vezes mais, enquanto as mulheres potencializaram sua frequência em quatro vezes mais.
É importante ressaltar que além dos riscos cardíacos e delirantes, as junções dessas duas bebidas criam em nosso organismo uma expectativa e ansiedade especifica, pois após uma dose relativa de álcool, a provável resposta do organismo seria querer ir para casa dormir, porém com a administração do energético nosso organismo esboça uma tendência em estar mais "ligado" e com menos sono, criando um comportamento pós-bebida, totalmente imprevisível e perigoso, onde muitas vezes não existe raciocino e censura.
fonte; Alagoas24horas

Nenhum comentário:

Postar um comentário