Digital clock

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Operação Mercado Limpo" interdita sete supermercados no Recife

"Operação Mercado Limpo" interdita sete supermercados no Recife



A megaoperação de fiscalização sanitária nos supermercados do Recife, batizada de “Mercado Limpo” e deflagrada na manhã desta quinta-feira (24) por policiais civis da Delegacia do Consumidor em parceira com o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), fiscais da Vigilância Sanitária do Recife (Visa) e do Procon-PE, interditou, inicialmente, sete estabelecimentos comerciais por supostas irregularidades sanitárias, como alimentos vencidos, temperaturas de conservação em desacordo com as normas sanitárias e condições precárias de higiene. 

As inspeções estão ocorrendo em 12 supermercados no Recife e, segundo as informações preliminares da Visa, os sete supermercados que já foram interditados preventivamente são: RM Express (Santo Amaro), Boa Mesa (Dois Unidos), Novo Dia (Beberibe), Olho D’Água (Várzea), Tavares Padaria e Mercado (Engenho do Meio), Casa do Consumidor (Ipsep) e Real Alimentos (Ipsep). Além deles, há vistorias programadas também no Extra (Boa Vista), Deskontão (Casa Amarela), Campeão (Nova Descoberta), Rende Mais (Jardim São Paulo) e Soberano (Afogados). 

A ação simultânea começou no início da manhã e conta com a participação de 60 agentes civis, 30 fiscais da Vigilância Sanitária e dez do Ministério Público, além da equipe do Procon-PE. O objetivo é avaliar as normas sanitárias e saber se os estabelecimentos estão cumprindo as exigências de funcionamento e respeito ao consumidor.

De acordo com a Visa, somente amanhã os órgãos divulgarão o balanço da operação, mas já se sabe que as interdições estão ocorrendo em virtude de inúmeras irregularidades sanitárias encontradas desde o início das operações de fiscalização, em março deste ano. A assessoria de comunicação da Vigilância informou, por exemplo, que no supermercado Real Alimentos, no Ipsep, a interdição foi parcial, sendo fechados temporariamente o açougue (sem licença da Adagro-PE para fracionamento de carnes e queijos) e a padaria, com alimentos vencidos e temperaturas de conservação de insumos fora dos padrões sanitários. Nenhum dos estabelecimentos, até o momento, se pronunciou sobre as interdiões. 

A Vigilância Sanitária do Recife informou, ainda, que não há números exatos sobre a quantidade de alimentos impróprios para o consumo apreendida, dada a dimensão da operação. Neste tipo de fiscalização, quando envolve a saúde pública, os estabelecimentos interditados ficam sujeitos a processos administrativos e pesadas multas, que podem variar de R$ 40 a R$ 2 milhões. Desde março, 28 supermercados (levantamento do Diario) foram fechados após sucessivas vistorias que flagraram inúmeras irregularidades sanitárias. 

Mais informações em instantes 

Nenhum comentário:

Postar um comentário